fbpx

Referências Bibliográficas

  • ANDERSSON, G.; ENGSTROM, A.; SODERBERG, S. A chance to live: Women’s experiences of living with a colostomy after rectal cancer surgery. Int J NursPract.v.16, p.603-8, 2010. 
  • ARDIGO, F. S.; AMANTE, L. N. Conhecimento do profissional acerca do cuidado de enfermagem à pessoa com estomia intestinal e família. Texto & contexto enfermagem, v. 22, n. 4, p. 1064-1071, out./dez.2013. 
  • BANDEIRA, R.C.F. Assistência de enfermagem ao estomizado IN: MATSUBARA M. G. et.al. Feridas e Estomas em oncologia: uma abordagem interdisciplinar, 1 edição, São Paulo: Lemar, 2012. 
  • BARROS, E. J. L. et al. Ações ecossistêmicas e gerontotecnológicas no cuidado de enfermagem complexo ao idoso estomizado. Revista brasileira de enfermagem, v. 67, n. 1, p. 91-96, 2014. 
  • BEITZ, J. M.; COLWELL, J. C. Stomal and Peristomal Complications. Journal wound ostomy continence nursing, v. 41, n. 5, p. 445-454, 2014. 
  • BODEGA-URRUTICOECHEA, C.; MARRERO-GONZÁLEZ, C. M.; MUÑÍZ-TOYOS, N.; PÉREZ-PÉREZ, A.; ROJAS-GONZÁLEZ, A. A.; VONGSAVATH ROSALES, S. Holistic care sand domicile attention to ostomy´s patient ENE. Rev Enferm. v. 7, n. 2, 2013. 
  • CASCAIS, A. F. M. V.; MARTINI, J. G.; ALMEIDA, P. J. S. O impacto da estomia no processo de viver humano. Texto contexto – enferm., Florianópolis, v. 16, n. 1, p. 163-167, mar. 2007. 
  • CAVANAGH, S.J. Modelo de Orem: aplicación práctica. Barcelona: Masson-Salvat; 1993. 
  • CESARETTI, I. U. R et al. O Cuidar de Enfermagem na trajetória do Ostomizado: Pré & Trans & Pós-Operatórios. In: SANTOS, V. L. C. G.; CESARETTI, I. U. R. Assistência em estomoterapia. São Paulo: Atheneu, 2005. 
  • COCA, C. et al. The Impact of Specialty Practice Nursing Care on Health-Related Quality of Life in Persons with Ostomies. Journal wound ostomy continence nursing, v. 42, n. 3, p. 257-263, 2015. 
  • COELHO, A.R; SANTOS, F.S; POGGETTO, MTD. A estomia mudando a vida: enfrentar para viver. Rev Min Enferm, Minas Gerais, n.17, v.2, p.258-67, Junh/abr, 2013. 
  • COQUEIRO, J. M.; RODRIGUES, P. A. S. S. J.; FIGUEIREDO, T. A. M. A produção do cuidado ao usuário estomizado: considerações da equipe de enfermagem. Revista de enfermagem da UFPE on line, v. 9, n. 6, p. 8148-8154, jun. 2015. 
  • DURUK, N.; UÇAR, H. Staff Nurses Knowledge and Perceived Responsibilities for Delivering Care to Patients with Intestinal Ostomies. Journal wound ostomy continence nursing, v. 40, n. 6, p. 618-622, 2013. 
  • FERREIRA-UMPIÉRREZ, A.; FORT-FORT, Z. Vivências de familiares de pacientes com colostomia e expectativas sobre a intervenção profissional. Revista latino-americano de enfermagem, v. 22, n. 2, p. 241- 247, 2014. 
  • FIGUEIREDO, P. A.; ALVIM, N. A. T. Diretrizes para um Programa de Atenção Integral ao Estomizado e Família: uma proposta de Enfermagem. Revista latino-americano de enfermagem, v. 24, e2694, 2016. 
  • FREITAS, L. S.; QUEIROZ, C. G.; MEDEIROS, L. P.; MELO, M. D. M.; ANDRADE, R. S.; COSTA, I. K. F. Indicadores do resultado de enfermagem autocuidado da ostomia: revisão integrativa. Cogitare Enferm. v. 20, n, 3, p:618-625, 2015. 
  • GEMELLI, L. M. G.; ZAGO, M. M. F. A interpretação do cuidado com o ostomizado na visão do enfermeiro: um estudo de caso. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 10, jan. 2002. 
  • GONZAGA, A. C. et al. Perfil de crianças e adultos com estomia intestinal do centro de referência da Bahia–Brasil. Estima, v. 18, n.e520, p. 1-8, 2020. 
  • INCA – Instituto Nacional do Câncer. Câncer Colorretal. Disponível em . Acesso em: 09 jun. 2017. INCA. Instituto Nacional de Câncer. Cuidados com a sua estomia: orientações aos pacientes/ Instituto Nacional de Câncer. Divisão de Comunicação Social. – Rio de Janeiro: INCA, 2010. 
  • KARABULUT, H. K.; DINC, L.; KARADAG, A. Effects of planned group interactions on the social adaptation of individuals with an intestinal stoma: a quantitative study. Journal of clinical nursing, v. 23, p. 2800– 2813, 2014. 
  • MARTINS, P. A. F; ALVIM, N. A. T. Perspectiva educativa do cuidado de enfermagem sobre a manutenção da estomia de eliminação. Rev. bras. enferm., Brasília, v. 64, n. 2, p. 322-327, abr. 2011. 
  • MAURICIO, V. C.; OLIVEIRA, N. V. D.; LISBOA, M. T. L. O enfermeiro e sua participação no processo de reabilitação da pessoa com estoma. Escola Anna Nery, v. 17, n. 3, p. 416-422, jul./ago. 2013. 
  • MELNYK, B. M.; FINEOUT-OVERHOLT, E. Evidence based practice in nursing & healthcare: A guide to best practice. 2 ed. Philadelphia: Wolters Kluwer Health/Lippincot Williams & Wilkins, 2011. 
  • MENEZES, C. C. S. M. et al. Câncer colorretal na população brasileira: taxa de mortalidade no período de 2005-2015. Revista brasileira de promoção a saúde, v. 29, n. 2, p. 172-179, abr./jun. 2016. 
  • MENEZES, H. F.; GÓES, F. G. B.; MAIA, S. M. A. A autonomia da criança estomizada: desafios para o cuidado de enfermagem. Revista de enfermagem da UFPE on line, v. 8, n. 3, p. 632-640, mar. 2014. 
  • MOTA, M. S. et al. Facilitadores do processo de transição para o autocuidado da pessoa com estoma: subsídios para Enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem USP, v. 49, n. 1, p. 82-88, 2015. 
  • NASCIMENTO C. M. S.; TRINDADE, G. L. B.; LUZ, M. H. B. A.; SANTIAGO, R. F. Vivência do paciente estomizado: uma contribuição para a assistência de enfermagem. Texto & Contexto Enferm. v. 20, n. 3, p:557-64, 2011. 
  • NETTINA, S. M. Prática de Enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara, 7. ed. 2003. p. 575. 
  • NIEVES, C. B. l. et al. Percepção de pacientes ostomizados sobre os cuidados de saúde recebidos. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 25, n. 1, p: 1-8, 2017. 
  • OREM, D. E. Nursing: concepts of practice. 5th ed. St. Louis: Mosby, 1995. 
  • POLETTO, D.; SILVA, D. M. G. V. Viver com estoma intestinal: a construção da autonomia para o cuidado. Rev Latino-Am Enferm. n. 21, v. 2, p. 1-8, 2013. 
  • SALES, C. A.; et. al. Sentimentos de pessoas ostomizadas: compreensão existencial. Rev. Esc. enferm – USP; 44(1):221-27, 2010. 
  • RIBEIRO, R. V. L. et al. Adaptação social do paciente colostomizado: desafios na assistência de enfermagem. Revista interdisciplinar, v. 9, n. 2, p. 216-222, mai./jun. 2016. 
  • ROSADO, S. R. Equipamentos coletores/adjuvantes de estomizados intestinais e a assistência especializada: a acessibilidade para o alcance da reabilitação. 2019. 227f. Tese (Doutorado em Enfermagem Fundamental) – Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2019. doi:10.11606/T.22.2020.tde-17122019-180133. Acesso em: 2020-07-23. 
  • SAMPAIO, F. A. A. et al. Nursing care to an ostomy patient: application of the Orem´s theory. Acta paul. enferm., São Paulo, v. 21, n. 1, p. 94-100, mar. 2008. 
  • SANTOS, V. L. C.G. A estomaterapia Através dos Tempos. In: SANTOS, V. L. C. G.; CESARETTI, I. U. R. Assistência em estomoterapia. São Paulo: Atheneu, 2005. 
  • SILVA, J. C.; SOARES, M. C.; ALVES, H. S.; GARCIA, G. S. A percepção de vida dos ostomizados no âmbito social. Rev Univ Vale do Rio Verde, n. 12, v. 1, p. 346-55, 2014. 
  • SILVA, N. M. et al. Aspectos psicológicos de pacientes estomizados intestinais: revisão integrativa. Revista latino-americano de enfermagem, v. 25, p. 1-11, 2017. 
  • SLATER, R. C. Managing quality of life in the older person with a stoma. Br J Comm Nurs. 2010. 
  • SPIERS, J. et al. The treatment experiences of people living with ileostomies: an interpretative phenomenological analysis. Journal of advanced nursing, v. 72, n. 11, p. 2662-2671, jan. 2016. doi: 10.1111/jan.13018.
  • UNITED OSTOMY ASSOCIATION. Guia de Colostomia. (2004). Disponível em. Acesso em: 09 jun. 2017. 
  • URSI, E. S.; GALVÃO, C. M. Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura. Revista latino-americano de enfermagem, v. 14, n. 1, p. 124-131, jan./feb. 2006. 
  • VIOLIN, M. R.; SALES, C. A. Experiências cotidianas de pessoas colostomizadas por câncer: enfoque existencial. Rev. Eletr. Enf. n.12, v. 2, p.278-86, 2010
🇪🇸 Español »