Salute

O que é a hiperglicemia?

Confira a seguir o que é hiperglicemia, conheça seus principais sintomas e saiba como prevenir esse distúrbio do organismo.

A hiperglicemia é uma condição caracterizada pelo elevado nível de glicose no sangue. Em geral, os níveis normais de glicose no sangue estão entre 70 e 99 mg/dL em jejum 8h e entre 100 e 140 mg/dL após comer. Essa condição pode parecer algo inofensivo, mas quando não é tratada pode causar sérios problemas à saúde em pessoas de qualquer idade.

Portanto, para cuidar da sua saúde e da sua família, é fundamental entender o que é a hiperglicemia, os sintomas mais comuns e, principalmente, como prevenir para não se tornar algo mais complicado. Confira a seguir o artigo que preparamos para você!

Entenda o que é hiperglicemia

A hiperglicemia ocorre quando há muito açúcar no sangue. Em geral, quando o organismo tem pouca insulina ou não consegue usar a insulina da forma adequada. Em muitos casos, essa condição está associada à diabetes.

Esse nível é considerado hiperglicemia quando a glicose no sangue é superior a 125 mg / dL durante o jejum de pelo menos oito horas. Uma pessoa tem hiperglicemia se a glicose no sangue for superior a 200 mg / dL uma a duas horas após comer.

Isso é importante porque, se você tem hiperglicemia, mas esta não é tratada, você pode danificar seus nervos, vasos sanguíneos, tecidos e órgãos, a longo prazo. 

Neste caso, é preciso muita atenção, pois danos nos vasos sanguíneos podem aumentar o risco de um problema cardíaco, acidentes vasculares cerebrais (derrames), além de danos aos olhos e aos rins.

Confira os fatores de risco para hiperglicemia:

Em geral, os principais fatores de risco são:

  • Histórico familiar de diabetes tipo 2
  • Estar acima do peso
  • Ter pressão alta ou colesterol
  • Ter síndrome do ovário policístico (SOP)
  • Histórico de diabetes gestacional

Principais sintomas da hiperglicemia

É importante conhecer os primeiros sinais de hiperglicemia, principalmente, se você tiver diabetes tipo 1. Caso a hiperglicemia não seja tratada nesses casos, pode evoluir para cetoacidose. 

A cetoacidose ocorre porque, apesar de o açúcar no sangue estar elevado, ele não entra nas células, que precisam produzir energia a partir de outras fontes, como as gorduras. A quebra das gorduras para produzir energia gera um produto chamado cetonas. As cetonas deixam o sangue mais ácido, o que pode causar uma situação de emergência, que leva ao coma ou à morte.

Os primeiros sintomas de hiperglicemia incluem:

  • Açúcar elevado no sangue
  • Sede ou fome aumentadas
  • Visão embaçada
  • Micção frequente
  • Dor de cabeça
  • Fadiga (sensação de fraqueza, cansaço)
  • Perda de peso
  • Infecções vaginais e cutâneas
  • Cortes e feridas de cicatrização lenta

Os sintomas de cetoacidose são:

  • Vômito
  • Desidratação
  • Cheiro frutado incomum no hálito (como o cheiro de removedor de esmaltes de unha)
  • Respiração difícil ou hiperventilação profunda
  • Batimento cardíaco acelerado
  • Confusão e desorientação
  • Coma

Saiba como tratar e controlar

É possível evitar a hiperglicemia ingerindo alimentos saudáveis, praticando atividades físicas e controlando o estresse. Mesmo as pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2 podem fazer esse controle embora, nesse caso, a ajuda de medicamentos ou de insulina seja sempre necessária.

5 dicas para prevenir a hiperglicemia

  1. Exercícios regulares podem ajudar a diminuir o açúcar no sangue
  2. Siga o plano de refeições recomendado pelo médico
  3. Mantenha um peso saudável
  4. Não fume
  5. Limite o consumo de álcool, pois ele pode causar variações nos níveis de açúcar no sangue

Situações em que pode ocorrer hiperglicemia em pessoas com diabetes:

  • Quando a dose de insulina ou medicação oral para diabetes não é a dose ideal para as necessidades da pessoa.
  • O corpo não está usando a insulina natural com eficácia.
  • A quantidade de carboidratos ingerida não é equilibrada com a quantidade de insulina que o corpo produz ou com a quantidade de insulina injetada.
  • A pessoa está menos ativa do que o normal
  • Quando algum estresse físico ou emocional está afetando a pessoa
  • A pessoa está tomando medicamentos para outra condição.
  • O fenômeno do amanhecer (onda de hormônios que o corpo produz todas as manhãs por volta das 4h às 5h) e pode afetar a pessoa.

Outras causas possíveis relacionadas a hiperglicemia

  • Condições endócrinas, como a síndrome de Cushing, que causam resistência à insulina
  • Doenças pancreáticas, como pancreatite, câncer pancreático e fibrose cística
  • Uso de medicamentos como diuréticos e esteróides
  • Diabetes gestacional, que se deve à diminuição da sensibilidade à insulina.

Caso você ou alguém da sua família descubra que tem hiperglicemia, é importante que o controle da glicemia seja feito diariamente através do teste de tolerância à glicose, que deve ser feito em jejum, antes e após as refeições.

Além disso, é importante buscar uma rotina mais saudável, com bons hábitos alimentares e prática regular de atividade física. 

Seu endereço de email não será publicado Required fields are marked *

*